quarta-feira, 12 de outubro de 2016

Feliz dia da crianças que brincam. E que brinquem!



Aqui em Portugal, o Dia Mundial da Criança é comemorado no dia 01 de Junho. As escolas, os museus, as fundações e tantas outras entidades oferecem atividades lúdicas, diversas oficinas, especialmente dedicadas as crianças. Não se percebe uma corrida dos pais as lojas de brinquedos. Os centros comerciais não sofrem quaisquer alteração de público. O que eu vi, foram parques, praças e jardins tomados por famílias desfrutando de um dia de lazer. Interessante observar que entre as crianças portuguesas, o foco é outro, bem menos capitalista.

Hoje, 12 de Outubro, Dias das Crianças no Brasil, a minha reflexão e desafio pessoal tem sido de deixar brincar mas principalmente brincar junto. Essa coisa que dizem do "criar memória", sabe. Esse ano, em especial, longe da família, dos amigos, da igreja, de tudo que constitua rede de apoio, eu tenho me sentido cansada e sobrecarregada. Faço das tripas coração pra ser lúdica, engraçada, causar riso e brincar junto. 

Por vezes, no meio do caos...  "Esse ônibus que não chega", "Essa comida que não vem logo", "Esse lugar que não se aproxima", brota um "Nome, fruta, objeto", palavras com a letra "tal", "jogo da velha", "Espada para o ar" ou simplesmente uma caneta e folha de papel pra cada um. Eu queria ser a minha irmã, eu queria ser o meu cunhado, eu queria ser a minha sogra, mas sou só eu mesma e cada um com a mãe que tem...risos. Drama a parte, a verdade é que a criança inventa do nada, cria, e se tiver com quem (irmãos, primos, colegas), melhor ainda. Particularmente, acho que muito brinquedo tolhi, castra, inibe esse processo criativo. Eu fui uma criança de poucos brinquedos, muito livros, primos e um quintal de vó que parecia uma floresta. Foi perfeito!!!

A Tati, do blog Família Moderna, bem disse: "Feliz é a criança que brinca de qualquer coisa, e preferiencialmente com campainha." 

Não é fácil, e nessa não julgo nem condeno mais ninguém. Fico triste que meu filho mais novo passe mais tempo do que eu gostaria com a cara no "pé", como ele chama Ipad. Hoje em dia já nem me importo que ele veja TV num canal infantil, porque TV tem comercial, porque aquele desenho acaba, porque a concentração dele se esgota e ele parte pra outra coisa. Se um dia achei ruim que ele tirasse todas as panelas do armário da cozinha, hoje eu prefiro. Falta pouco eu oferecer a colher de pau pra que ele "tire um som" das panelas velhas do dono do apartamento... risos. 

Ipad é a nova chupeta. Um e outro não são pra crianças, são para os adultos. "Tome aqui. Não chore mais não. Me deixe conversar, me deixe passear, me deixe cozinhar e lavar esse banheiro". É preciso coragem, vontade, inspiração e amor pra sentar no chão, na cama, na rede e brincar com o bebê. Arrancar sob protesto o Ipad das mãozinhas e oferecer calor, toque, afeto no lugar do brilho da tela. Era assim no passado. Funcionava. Tem coisas que não exigem tecnologia.

Feliz dias das crianças pra todas a crianças que brincam. E que brinquem!


beijo e beijos.
Elene Lima. 

sexta-feira, 30 de setembro de 2016

Vais a praia? Não esqueças de espreitar o vento!

Era verão! Vi minhas amigas combinado uma praia. As duas olhando na página do tempo se a temperatura seria favorável. Opa!!! Sorrisos brotaram confirmando o programa. Mas então elas lembraram de um outro detalhe, o vento! Voltaram a olhar a página e sorriram aliviadas. E, foi assim que eu aprendi que pra sair no Porto, não basta checar a temperatura, o tal vento do norte não deve ser esquecido. E sim, eu já vivenciei o fato.
Chegamos na praia de Leça da Palmeira de mala e cunha, como diriam na minha terra. Três adultos e seis crianças super animadas com a idéia de passar a tarde na praia. Qual não foi a surpresa, quando descemos do carro já sentimos aquele arrepio... vento forte e gelado! Chegamos a andar pelo calçadão, até que a voz da razão ecoou: tá mesmo desagradável! Sob gritinhos de frio e choro de decepção voltamos pra casa. Poxa.

praia de Cortegaça, Ovar. Portugal.
Em condições normais de temperatura e pressão (risos), venta bastante na praia. É costume dos portugueses usarem o que aprendi aqui, o pára-vento. Acessório indispensável pra quem vai a praia no norte.


Beijos e beijos
Elene Lima.

Como tu te chamas? ( sobre nomes portugueses)

Eu vim pra Portugal pra descobrir que além de Manel (Manuel), Zé (José), Joaquim e João. O português também chama-se  Santiago, Gonçalo, Nuno, Martim e Duarte.
As portuguesas chamam-se Maria, Joana, Francisca, Mafalda e Leonor. Mas podem ser Rita, Carolina, Inês, Matilde e Filipa.

O sotaque português (pelo menos aqui no Porto) fala "Piedro", "Matieus", "Tumaz", "Carulina", "Suraia", "Rafaiel", "Micaiel".

Eu amo o sotaque Português e vou sentir falta de ouvi-lo com maior freqüência. Mas confesso que com seis meses morando aqui, no Porto, ainda me pego sem entender bulhufas do que eles estão falando. O Daniel morre de rir porque eu respondo com sorrisos, caras e bocas mas no fim só entendi uma coisa aqui, outra acolá. Viva a língua portuguesa!

beijos e beijos.
Elene Lima

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Tem frio, tem sol e tem chuva. É outono no Porto!



Faltando duas semanas para o fim de Agosto, a portuguesa querida comentou que dali pra frente o clima mudava um bocadinho. Disse que as manhãs e as noites seriam mais fresquinhas. Traduzindo pro bom português brasileiro (risos), as manhãs e as noites estariam mais FRIAS!!! Mas eu me apeguei ao fato de que o dia seria "quentinho", o sol nos aqueceria, afinal era verão!
Nós que já estávamos pensando em comprar um ventilador pra amenizar o calor das tardes quentes. Nós que passamos a dormir com as janelas abertas pra entrar um ventinho. Nós que dormíamos quase sem roupa, agora estávamos vestidos, cobertos e de janelas fechadas novamente.
As máximas começaram girar em torno dos vinte graus. Vinte e cinco graus era um dia "quente". A noite começou a chegar mais cedo, e com ela o tal clima fresco, por volta dos quinze graus. As manhãs chegavam com a temperatura por volta dos doze, quinze graus. Esta semana, véspera de outono, os meninos acordaram pra escola com a temperatura marcando dez graus. Je-sus!!! Eu acho que pra uma amazonense recém chegada no Porto isso já pode ser considerado inverno...risos. Os dias são frescos (geladinhos), o sol aparece, mas já me disseram também que chuva é a grande estrela da estação. De tudo isso, estou mesmo animada com a mudança da paisagem. O outono é lindo!

beijos e beijos.
Elene Lima




terça-feira, 20 de setembro de 2016

Uma não, digo, três vagas na escola, por favor! (Sobre a matrícula dos meninos aqui no Porto).

E por falar em escola no post anterior, decidi contar nossa experiência no questão "escola para as crianças".
Não sei se as coisas acontecem de igual modo para todo mundo, em todas as freguesias do Porto, ou mesmo em outras cidades portuguesas, mas conosco foi assim e eu vou compartilhar.

Quando decidimos pelo nosso apartamento, o próximo passo foi ver onde estavam as escolas da vizinhança. Já tínhamos em mente que as crianças estudariam na escola pública da freguesia. A dúvida era se conseguiríamos vaga uma vez que o ano escolar já estava nos seus finalmente. (Lembrando que o ano escolar começara em Setembro de 2015 e nós só chegamos em Março de 2016.) Um belo dia, paramos o carro em frente a uma escola e eu entrei para me informar.

Conforme orientação procurei o Agrupamento das escola de Pedrouços e eles de pronto me disseram tudo o que precisava ser feito, quais documentos providenciar. Para solicitar vaga nas escolas da freguesia, apresentamos a declaração de residência na freguesia (Isso se consegue na Junta de Freguesia). As crianças já estavam cadastradas na Unidade de Saúde da Família e já tinham o número de utente. O que faltou fomos providenciando aos poucos ( foto, declaração de vínculo do Daniel com a U.Porto e etc.)

Depois de dar entrada no processo de matrícula, esperamos em casa a informação sobre em que escola eles teriam sido matriculados. E, pra nossa alegria os três ficaram juntos numa escola que dá pra ver da janela de casa. Que benção! Mesmo faltando pouquíssimo tempo para o término do ano escolar os meninos conseguiram acompanhar e tiveram êxito pra transitar (seguir) pro próximo ano. Só sei que foi assim.


Beijos e beijos
Elene Lima


(Passar de ano = transitar de ano)




quinta-feira, 15 de setembro de 2016

O Regresso às aulas no Porto.

Últimos dias de verão no Porto. Num dia frio e chuvoso os alunos da rede pública regressaram às aulas. Sim, hoje teve início mais um ano letivo português. Primeiro dia de aula de Pedro e Mateus no segundo ano do Primeiro Ciclo da escola pública portuguesa. Fernanda segue no Jardim de Infância.
A escola não é grande, não tiveram lá muitas novidades, mas eles gostaram de rever os colegas do ano anterior e as funcionárias da escola... a senhora do portão e as auxiliares do refeitório. A tristeza é que o professor da série passada mudou de escola e é claro que eles estão cheios de saudade do querido mestre. 
Infelizmente, a professora que lá está ainda não é a definitiva. E talvez, pelo pouco tempo que nos resta, os meninos nem conheçam a educadora que assumirá a turma de fato. Enfim, hoje teve início um novo capítulo da nossa aventura que só vai ter fim quando estivermos próximos de retornar ao Brasil. 
Deus abençoe este período na vida dos meus filhos e dos seus coleguinhas.

Beijos e beijos.
Elene Lima.